domingo, 6 de junho de 2010

A Casa Pittella

Dentre as casas comercias que existiram na cidade, na ocasião da inauguração, a que se firmou e veio até quase os nossos dias, foi a Casa Pittella, de Carlos Pitella, italiano de Láuria e Palmirense de coração, cuja vida foi um precioso patrimônio da cidade.

A Casa Pittella foi fundada em 1875, sob a razão social de José Albanese. Mantinha então uma filial no Quilombo, hoje Município de Bias Fortes. De 1889 a 1902 a firma se denominou Albanese & Cia. e a companhia era certamente o jovem Carlos Pittella, então recentemente chegado da Itália.

De 1903 a 1921 a Casa teve sede principal na rua Afonso Pena, bem no início, logo após a Praça Cesário Alvim.

Depois de 1921, foi a fase áurea do tradicional estabelecimento mercantil que ostentava a mais bela placa de cobre, com os seguintes dizeres: “Casa Lauriota – de Carlos Pittella e Companhia – negociantes e industriais – Palmyra, Minas”.

Esta placa foi recolhida por ocasião da demolição do prédio, que aconteceu após a extinção da firma, em 1982.

Na sua fase mais importante, além da venda de gêneros do país, ela importava ferragens, vinhos e farinha de trigo. Esta vinha de São Paulo, em vagões da Central. Exportava para outras cidades do país toda a produção de queijo branco de Minas. O queijo era embalado em jacás de bambu e transportado três vezes por semanas, por caminhão, para o Rio de Janeiro. A casa não era apenas comercial, mas também industrial. Possuía uma fábrica de macarrão, produzido em grande escala. Também fazia os famosos pães italianos, muito apreciados na época.

Com o lamentável falecimento de Carlos Pittella, em 1950, assumiu a direção do negócio seu genro e sócio José Palmieri. Levou a vante a empresa e introduziu também a venda por atacado. Era importante representante de indústrias e atacadista nacionais, até 1978, quando, infelizmente, José Palmieri faleceu. Em vida, teve a oportunidade de, muitas vezes, encontrar-se com Alberto Santos Dumont a quem fornecia formicida, pregos, ferramentas e outros gêneros, para o Cabangu.

A firma aguentou este segundo golpe, mas os tempos já não eram os mesmos. Os herdeiros, recuperados de grande perda, tentaram resistir. Organizaram-se e constituíram a firma “Carlos Pittella Comércio e Industria Limitada” e conseguiram, com imensas dificuldades trazê-la até 31 de março de 1982, quando encerraram suas atividades. As portas foram, afinal fechada. Por muitos anos a Casa Pittella participara do progresso da cidade.

O prédio foi alienado a 3 de maio de 1982, e o martelo iconoclasta dos operários não tomou conhecimento dessa construção histórica de 1921. Em poucas horas tudo veio abaixo e desapareceu a que foi uma das maiores casas comerciais de Palmyra.

Hoje, em seu lugar, há um edifício moderno, de três andares.

Decreto n° 12 de 13121924

Approva o Regulamento de Vehiculos para o serviço de viação da cidade de Palmyra.


Annexo ao Dec. n°. 12, de 13 de Dezembro de 1924
Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-las

sábado, 5 de junho de 2010

Decreto n° 11 de 09111924

Approva o Regulamento das Feiras Livres

Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-las

Decreto n° 10 de 06/10/1924

Convoca uma sessão extraordinaria da Camara Municipal e designa o dia 24 do corrente mez para installação e inicio dos trabalhos da mesma.



Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-las

Decreto n° 9 de 28/03/1924

Adia, até 30 de Abril proximo, o prazo para pagamento sem multa, de impostos municipais, constantes de lançamentos, referentes ao corrente exercício.

Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-las

Decreto n° 8 de 06/03/1924

Convoca uma sessão extraordinária da Camara Municipal e designa o dia 24 do corrente mez, para installacão e inicio dos trabalhos da mesma.

Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-las

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Decreto n° 7 de 22/01/1923

Manda proceder-se em 27 do corrente mez, a eleição para o 2° Juiz de Paz do districto da cidade, para preenchimento da vaga respectiva, aberta pela renuncia do cidadão Manoel Justiniano de Araujo, a qual se effectuará conjuntamente com a que terá logar nesse mesmo dia, para 3° Juiz de Paz.


Clique nas imagens e depois aplique zoom para visualizá-las

Decreto n° 6 de 05/12/1923

Designa o dia 27 de Janeiro do anno próximo, para as eleições de um 3° Juiz de Paz, pelo districto da cidade e um vereador especial, pelo districto de S. João da Serra.

Clique nas imagens e depois aplique zoom para visualizá-las.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Decreto n° 5 de 09/10/1923

Transfere para 12 de Novembro proximo a installação da sessão extraordinária que foi convocada para 15 do corrente mez.


Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-las

Decreto n° 4 de 28/09/1923

Convoca uma sessão extraordinária da Camara Municipal e designa o dia 15 do proximo mez de Outubro, para sua installação e inicio dos trabalhos da mesma.




Clique nas imagens e depois aplique o zoom para visualizá-la

Decreto n° 3 de 14/02/1923

Convoca uma reunião extraordinária da Camara Municipal de Palmyra e designa o dia 27 do mez vigente para inicio dos trabalhos da mesma.

Clique na imagem e depois aplique o zoom para visualizá-la

Decreto n° 2 de 3 de outubro de 1922

Convoca a Câmara, em sessão extraordinária e designa o dia 10 do corrente para instalação dos trabalhos da mesma.

Clique na imagem e depois aplique zoom para visualizá-la

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Decreto n° 1, de 31 de julho de 1922

Desapropriação de terrenos para passagem da estrada de rodagem entre os districtos de Conceição do Formoso e São João da Serra.


Clique na imagem e depois aplique o zoom para ampliá-la

Legislação - 2015

Legislação - 2012

Legislação - 2011

Legislação - 2010

Legislação - 2009

Legislação - 2008

Legislação - 2007

Legislação - 2006

Legislação - 2005